sexta-feira , 9 dezembro 2016
transito2

Sem fiscalização, trânsito continua um caos em São Fidélis

transito3
Fotos: SFnotícias

O caos continua. Carro, moto, carroça, caminhão e carreta. Tudo junto e misturado. Fora os ciclistas e os pedestres. Ninguém respeita ninguém.

Esse é o trânsito de São Fidélis, onde em pouco mais de um ano, quatro pessoas morreram e outras duas ficaram acidet 4feridas em atropelamentos, sem falar na grande quantidade de outros acidentes registrados no município.

Após reclamações de nossos leitores, percorremos alguns pontos do município. Encontramos carros, motos e até caminhões nas calçadas, assim como diversas mercadorias de lojas. Também encontramos veículos estacionados em locais proibidos ou em fila dupla. Em alguns pontos, os pedestres tiveram que passar na rua, pois não tinha espaço no calçada.

“Temos os guardas que tentam arrumar essa bagunça, mas eles não podem multar, e por isso não são respeitados. Tinha que ter semáforos nessas esquinas perigosas. Eu mesmo já presenciei vários acidentes, entres eles, o de uma menina que morreu atropelada por um ônibus há alguns anos na esquina da Rua Faria Serra”, disse Mário José da Silva, que afirmou encontrar dificuldade para caminhar pelas calçadas do Centro.

São Fidélis hoje faz parte das 26 cidades no estado do Rio de janeiro que ainda não se integraram ao Sistema Nacional de Trânsito (SNT). No ano de 2013 foi aprovada por unanimidade na câmara Municipal a Lei Nº 1.371, de 12 de Agosto de 2013, que dispõe sobre a criação da Superintendência Municipal de Trânsito e Rodoviário de São Fidélis, SMTRSF, mas nada foi feito.

trânsiro sfA prefeitura fez mudanças nos sentidos de algumas vias e instalou algumas placas, mas nada adiantou. Para melhorar, ainda falta muita coisa a ser feita, como fiscalização. A polícia militar faz sua parte com um excelente trabalho de fiscalização diante das irregularidades em veículos.

Na semana passada, o nosso colunista Erick Lopes mostrou em sua coluna aqui no SFnotícias, que desde a criação do CTB, compete aos órgãos executivos municipais de trânsito exercer nada menos que vinte e uma atribuições, todas elas relacionadas em seu artigo 24. Uma vez preenchidos os requisitos para integração do município ao Sistema Nacional de Trânsito, ele assume a responsabilidade pelo planejamento, o projeto, a operação e a fiscalização, não apenas no perímetro urbano, mas também nas estradas municipais. transitoA prefeitura passa a desempenhar tarefas de sinalização, fiscalização, aplicação de penalidades e educação de trânsito.

Para Erick, o trânsito de nossa cidade precisa de uma organização no geral, pois as poucas intervenções realizadas não foram suficientes para alcançarmos uma convivência harmoniosa em nosso trânsito diário.

“O que hoje acontece em nossa cidade, é que, passados dezoito anos da criação e implantação do CTB, não houve por parte das administrações municipais nesse período, o interesse, ou a viabilização para que o nosso município assumisse o seu próprio trânsito. Espero um dia poder ver esses avanços chegarem a nossa cidade, São Fidélis merece, nós cidadãos merecemos uma São Fidélis com mais planejamento”, concluiu Erick Lopes em sua coluna.

transito

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *