sexta-feira , 20 setembro 2019

Sequestrador de ônibus no Rio é morto por atirador de elite; 37 reféns foram salvos sem nenhum ferimento Foram mais de três horas de sequestro. Um atirador de elite, que estava sobre um caminhão do Corpo de Bombeiros, conseguiu atingir o sequestrador

Foram mais de três horas de sequestro. Um atirador de elite, que estava sobre um caminhão do Corpo de Bombeiros, conseguiu atingir o sequestrador

Foto: Centro de Operações do Rio

Um atirador de elite do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Polícia Militar conseguiu atingir o homem que sequestrou um ônibus com 37 passageiros na manhã desta terça-feira (20/08) na Ponte Rio-Niterói. Todos os reféns foram salvos sem nenhum ferimento em uma ação perfeita envolvendo policiais militares e agentes da Polícia Rodoviária Federal. Segundo o porta-voz da Polícia Militar, Mauro Fliess, o sequestrador estava com uma arma de brinquedo. A confirmação veio após ele ter sido atingido pelos disparos do atirador de elite que estava em cima de um caminhão do Corpo de Bombeiros. Embora a arma fosse de brinquedo, o bandido estava com gasolina e ameaçava colocar fogo no coletivo.

Imagem: TV Globo

Segundo a Polícia Militar, o homem entrou por volta de 5h30 no ônibus que faz a linha Jardim de Alcântara (São Gonçalo) – Estácio (Centro do Rio). Depois de três horas e meia após o início do sequestro, por volta das 9h04, o atirador de elite conseguiu atingir o sequestrador. Ele desceu do coletivo e jogou algo para os policiais. Quando ele estava subindo a escada para voltar ao interior do coletivo, foi atingido pelos disparos. Após conseguir atingir o sequestrador, o atirador de elite, que estava sobre um caminhão do Corpo de Bombeiros, levantou e fez um sinal de positivo. Motoristas de outros carros que estavam aguardando a liberação da ponte comemoraram o desfecho do sequestro. O governador do estado, Wilson Witzel, também foi ao local em um helicóptero da Polícia Civil. Ao descer da aeronave ele comemorou a ação da polícia.

A Polícia Militar informou ainda que os passageiros do coletivo estavam conectados à internet e alguns assistiam televisão, acompanhando os canais que estavam transmitindo ao vivo, já que o sequestrador queria acompanhar o que estava sendo dito pela imprensa. Alguns dos reféns publicaram fotos (veja no final) do sequestrador feitas de dentro do coletivo. Os reféns receberem os primeiros atendimentos em ambulâncias no local. Eles foram colocados em outro ônibus para serem retirados da ponte e passarem por outros atendimentos médicos.


Mais do SFn