terça-feira , 22 outubro 2019

‘Setembro Amarelo’ alerta para prevenção ao suicídio; 1 em cada 2 brasileiros já pensou em se suicidar Um estudo realizado em todo o Brasil apontou números alarmantes sobre depressão e suicídio no país em 2019; 80% dos brasileiros conhecem alguém que esteja atualmente sofrendo de depressão e 93,5% do total de entrevistados já escutou alguém dizer "isso é frescura" para uma pessoa com depressão

Um estudo realizado em todo o Brasil apontou números alarmantes sobre depressão e suicídio no país em 2019; 80% dos brasileiros conhecem alguém que esteja atualmente sofrendo de depressão e 93,5% do total de entrevistados já escutou alguém dizer "isso é frescura" para uma pessoa com depressão

Fotos: Caio Fotografias

Municípios de várias cidades do Brasil estão realizando ao longo desse mês atividades voltadas para a valorização da vida e prevenção ao suicídio, já que no dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Ontem (25/09) foi realizada a “caminhada pela vida” em São Fidélis, uma realização do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) com a participação de várias secretarias municipais. O objetivo é alertar a população sobre os riscos que correm as pessoas que não recebem este apoio. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, aproximadamente 1 milhão de pessoas se suicidam a cada ano no mundo. Um estudo realizado com mais de mil e quinhentos entrevistados em todo o Brasil pela Hibou, empresa de pesquisa e monitoramento de mercado, apontou números alarmantes sobre depressão e suicídio no país em 2019.

Segundo a pesquisa, 80% dos brasileiros conhecem alguém que esteja atualmente sofrendo de depressão e 93,5% do total de entrevistados já escutou alguém dizer “isso é frescura” para uma pessoa com depressão e 47,1% concordam que o Instagram deixa as pessoas mais deprimidas. Cerca de 92,88% acreditam que o melhor canal de ajuda para a depressão é apoio de psicólogos ou psiquiatra; para 88,6% da população, dividir os problemas com os amigos também ajuda, além do auxílio médico, e 93,7% das pessoas dizem que a família é essencial na busca da melhora. Mas 51,1% dos entrevistados acreditam que só há melhoria da depressão com o uso de medicamentos. É quase um consenso: 99,81% das pessoas acreditam que a depressão pode levar ao suicídio no Brasil. E muitos já conhecem essa realidade pessoalmente ou por pessoas próximas. Cerca de 72,69% dos brasileiros conhecem alguém que já tentou ou cometeu suicídio. Entre esses, também foi revelado que conhecem em média entre duas e três pessoas que tentaram ou cometeram o ato. Dos entrevistados que responderam conhecerem alguém que tentou cometer suicídio, 70% afirmaram que a pessoa não sobreviveu. Isso significa que 51% do total de entrevistados já perderam alguém vítima de suicídio.

A média da idade das pessoas que tentaram ou cometeram suicídio ficou entre 26 e 27 anos, sendo a maioria pessoas da família ou amigo próximo (54%), seguido de amigo de convivência (29,76%), familiar distante ou conhecido (29,33%), e colega de trabalho (16,09%). É preciso ficar atento aos sinais de que alguém está com um comportamento suicida. Segundo os entrevistados, 36% disseram que os suicidas demonstraram desinteresse total; 34,91%, que se afastaram de interações sociais; 27,16%, que ficaram mais silenciosas que o normal, e 20,43%, que começaram a dormir muito. O que dificulta a situação é que 25% disseram não terem notado nenhum sinal de comportamento suicida por parte da pessoa. 48,73% da população afirmam ainda que já pensaram em tirar a própria vida – aproximadamente uma a cada duas pessoas. Destes, quase metade (45,46%) disse que não buscou ajuda para tirar os pensamentos da cabeça, mas outros disseram procuraram tratamento com psicólogos (21,83%), psiquiatras (20,83%) ou terapias alternativas (16,5%). 19,92% reportaram ainda buscar a ajuda de amigos, e 14,09%, conversas com a família. Dos respondentes que já pensaram em cometer suicídio, 72,08% afirmaram que não possuem mais esse tipo de pensamento, mas 27,92% disseram que ainda pensam em tirar a própria vida.

Quando questionados sobre os fatores que acreditam que contribuem para o aumento de casos de depressão nos últimos anos; 61,89% dos brasileiros dizem que é a falta de perspectiva econômica e o desemprego; 60,09% atribuem à falta de expectativa de vida, segundo eles, o excesso de informação gera confusão interna; 51,81% afirmam serem dúvidas existenciais; 51,68% atribuem ao aumento do uso de internet e redes sociais; 45,27%, cobranças familiares; 28,77%, sedentarismo e falta de exercícios; 25,53%, queda na religiosidade; 12,52%, jogos eletrônicos e RPG; 9,78%, o conteúdo de filmes e séries; 8,66%, as rixas entre amigos e familiares por motivos políticos; 8,47%, hábitos alimentares e 4,55% das pessoas acreditam que pelas mudanças climáticas e desafios ecológicos.

Mais do SFn