Imagem: reprodução da internet

Sindipetro apura morte de taifeiro em navio de mergulho na Bacia de Campos De acordo com a família, o trabalhador pode ter sido vítima de negligência no atendimento médico. A Petrobrás nega problemas no atendimento e diz que atuou de acordo com orientações da Marinha

De acordo com a família, o trabalhador pode ter sido vítima de negligência no atendimento médico. A Petrobrás nega problemas no atendimento e diz que atuou de acordo com orientações da Marinha

O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) informou que confirmou a morte de um homem que trabalhava como taifeiro na Bacia de Campos. A vítima, identificada como Luciano de Carvalho Pinto, de 42 anos, morreu a bordo de um navio de mergulho no último domingo (21). De acordo com a família, o trabalhador pode ter sido vítima de negligência no atendimento médico. A Petrobrás nega problemas no atendimento e diz que atuou de acordo com orientações da Marinha.

Segundo o Sindicato, ele teria reclamado de fortes dores, mas teria sido ignorado. No domingo, 21, às 17h45, o trabalhador foi encontrado desmaiado em seu camarote. Por meio de vídeo-conferência mediada por enfermeiros a bordo, um médico atestou que o taifeiro havia morrido em razão de um mal súbito.

Por recomendação da Marinha, o corpo do trabalhador foi colocado em uma geladeira e a embarcação deslocou-se para o Porto do Açu, chegando à terra na madrugada da segunda, 22. Agentes da Marinha e da Polícia Federal liberaram o corpo para o translado, feito pelos Bombeiros.

De acordo com o coordenador do Departamento de Saúde do Sindipetro-NF, Alexandre Vieira, o sindicato vai cobrar mais esclarecimentos sobre o caso às autoridades envolvidas.


Mais do SFn