Supermercados do RJ não são mais obrigados a oferecer duas sacolas gratuitas e devem cobrar por elas Decisão de encerrar a distribuição gratuita das primeiras duas sacolas foi deliberada após Conselho Diretor Extraordinário da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ)

Decisão de encerrar a distribuição gratuita das primeiras duas sacolas foi deliberada após Conselho Diretor Extraordinário da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ)

A partir desta quarta-feira (15/01) a distribuição gratuita das primeiras duas sacolas deverá ser encerrada pelos estabelecimentos comerciais do Rio de Janeiro. A decisão foi deliberada após Conselho Diretor Extraordinário da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) para que o consumidor tivesse mais tempo para se adequar à Lei, que proíbe a distribuição das sacolas plásticas convencionais (produzidas com 100% de petróleo). Em seis meses de adequação da Lei, a ASSERJ identificou a redução de cerca de 50% na distribuição de sacolas pelas redes associadas. Desde que a Lei entrou em vigor, em 26 de junho de 2019, cerca de um bilhão de sacolas plásticas deixaram de ser distribuídas no Estado. (Continua após a publicidade)

Antes da Lei, estima-se que, por ano, cerca de 4 bilhões de sacolas plásticas eram distribuídas no Rio de Janeiro. Com base nisso, mais de 300 milhões de sacolas plásticas eram entregues por mês no Estado. Com a aplicação da Lei, esse número caiu para pouco menos de 200 milhões de sacolas/mês. De acordo com a lei, os estabelecimentos poderão distribuir as sacolas mediante cobrança máxima de seu preço de custo, neste incluídos os impostos. A lei determina ainda que consumidores utilizem bolsas recicláveis ou reutilizáveis.

Mais do SFn