terça-feira , 20 agosto 2019

Suspeitos de estupro coletivo e de divulgar imagens na web prestam depoimento em Cordeiro A Polícia Civil acredita que a vítima tenha sido dopada em Cantagalo. Em seguida, ela foi levada para a casa de um deles em Cordeiro, onde teria sido estuprada. Crime foi divulgado pelo SF Notícias

A Polícia Civil acredita que a vítima tenha sido dopada em Cantagalo. Em seguida, ela foi levada para a casa de um deles em Cordeiro, onde teria sido estuprada. Crime foi divulgado pelo SF Notícias

Fotos: SF Notícias

Dois dos três suspeitos de participar de um estupro coletivo ocorrido no último dia 13, em Cordeiro, prestaram depoimento na 154ª Delegacia Legal do município. O terceiro envolvido ainda será ouvido. O crime foi filmado e o vídeo foi compartilhado em grupos de WhatsApp. Ao SF Notícias, o delegado responsável pelo caso, Dr. Robson Pizzo, contou que após os depoimentos se confirmou que o local onde as imagens foram gravadas é a casa de um dos suspeitos. O caso foi revelado pelo SF Notícias e ganhou destaque em todo o estado, chocando moradores de Cordeiro e cidades vizinhas.

Ainda de acordo com o delegado, o crime ocorreu no dia 13, mas a vítima só procurou a delegacia de Cordeiro após o vídeo ter sido compartilhado nas redes sociais. No vídeo, três homens aparecem em um quarto com a vítima, de 22 anos. Em um determinado momento do vídeo, ao perceber que estava sendo filmada, a vítima tenta tapar o rosto. O delegado disse ainda que o crime começou em Cantagalo, município vizinho, onde a mulher teria sido dopada ou drogada, sendo vítima do golpe chamado “Boa Noite, Cinderela”. Em seguida a mulher foi levada para Cordeiro, onde teria sido estuprada.

A vítima conta que estava em uma festa no município de Cantagalo quando começou a passar mal após tomar uma bebida de um conhecido, e que só foi saber do ocorrido ao ver o vídeo na internet, uma semana depois. O delegado não divulgou o conteúdo do depoimento dos suspeitos e não deu mais detalhes sobre a investigação, já que o caso está sob sigilo. Dr. Robson informou ainda que está investigando os autores do crime e quem está compartilhando as imagens nas redes sociais.

Em seu perfil em uma rede social, a vítima fez uma postagem e pediu para que as pessoas parem de compartilhar o vídeo. “Quero agradecer as mensagens de carinho de amigos e familiares. Estou bem, mas infelizmente fui vítima de um crime e as providências legais já estão sendo tomadas através da delegacia e da minha advogada. Peço que não incentivem o compartilhamento, pois além de me prejudicar, estes também serão investigados“, postou a jovem. A advogada da vítima, Valério Melo, também fez uma postagem. “Aos que compartilharam o vídeo, saibam que além de cometerem um crime, ajudaram a ampliar o abalo psicológico da vítima. A maldade humana não tem limites“, disse a advogada.


Mais do SFn