Tarifas de encomendas Sedex e PAC dos Correios mais caras após novo reajuste Nesta quarta (16) foi publicado no DOU o decreto do presidente Jair Bolsonaro que autoriza a realização de estudos para uma possível privatização da empresa

Nesta quarta (16) foi publicado no DOU o decreto do presidente Jair Bolsonaro que autoriza a realização de estudos para uma possível privatização da empresa

Fotos: SF Notícias/ Reprodução

Mais uma vez, os brasileiros terão que preparar os bolsos para uma nova elevação de preço. Desta vez, o reajuste foi nos serviços de encomendas dos Correios, Sedex e PAC, para postagens por pessoa física. As tarifas foram elevadas na segunda-feira (14/10) e o reajuste médio de 6,34% foi confirmado pela estatal. O índice é superior ao dobro da inflação acumulada nos últimos 12 meses (2,89%), de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Por questões de sigilo comercial, a empresa não divulgou em quanto ficaram mais caros os envios de cada tipo – PAC, Sedex Hoje, Sedex 10 e Sedex 12.

O reajuste é aplicado cerca de sete meses após a última alta nos preços de serviços dos Correios. Em março deste ano, o reajuste médio tinha sido de 8,03%. Segundo a empresa, a atualização dos preços ocorre para equilibrar o impacto dos custos na prestação dos serviços e não se aplica aos clientes que possuem contratos com a mesma. Em decretos publicados no Diário Oficial da União (DOU) nesta quarta (16/10), o presidente Jair Bolsonaro incluiu os Correios e a Telebras no Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (PPI). Com a confirmação, estudos públicos serão realizados para encaminhar a privatização das duas estatais, que requer aprovação Câmara e do Senado.

Com informações do Jornal Extra

Mais do SFn