Teste do coraçãozinho é incorporado à triagem neonatal do SUS

Uma Portaria do Ministério da Saúde publicada na última quarta-feira (11/06) no Diário Oficial da União incorpora a oximetria de pulso conhecida como teste do coraçãozinho, como parte da triagem neonatal do Sistema Único de Saúde (SUS).O exame é capaz de detectar precocemente cardiopatias graves diminui o percentual de recém-nascidos que recebem alta sem o diagnóstico de problemas que podem levar ao óbito ainda no primeiro mês de vida.

Dados da Sociedade Brasileira de Pediatra indicam que, em cada mil bebês nascidos vivos, de oito a dez podem apresentar malformações congênitas e, desses, dois podem apresentar cardiopatias graves, em que há a necessidade de intervenção medicada mais rápido possível.

Como é o teste ?

Um pulseira que mede a oxigenação do sangue é colocada no braço direito do bebê, ao mesmo tempo uma outra pulseira é coloca em um dos membros inferiores da criança.

As pulseiras são ligadas a um aparelho chamado oxímetro, em crianças normais a taxa de oxigenação do sangue ( saturação ) Tanto no membro inferior quanto no membro superior deve ser de 95%, caso esteja abaixo deste número ou a diferença entre a saturação do membro superior seja 3% menor do que a saturação do membro inferior , o bebê deve ser submetido a outros exames mais complexos como o ecocardiograma.

O teste é totalmente indolor e não invasivo, o exame deve ser feito em todos os bebês nascidos no lelar (  Sus e particular sem custos para a gestante)

Doenças que podem ser detectadas a partir do teste.

Atresia Pulmonar

Síndrome da hipoplasia do coração

Coarctação da Orta

Transposição dos grandes vasos.

Fonte : Agência Brasil

 


Mais do SFn