tomorrowland_movie-wide-1024x640

Tomorrowland – Um lugar onde nada é impossível

tomorrowland-brit
Fotos: Reprodução.

Adoro falar de cinema, depois de um tempo de molho em casa só ligado no Netflix, estou retomando minha rotina cinematográfica! Na última semana assisti ao novo filme de aventura/ficção científica da Disney “Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível”, com George Clooney e Damon Lindelof e me diverti. Não achei nada de excepcional como eu estava esperando, mas é um filme curioso e que termina com uma tentativa de mensagem otimista sobre a vida!

Casey Newton (Britt Robertson) é uma adolescente determinada e cheia de ideias que adora a ciência. Um dia, Casey encontra um pequeno broche criado por Frank Walker (George Clooney), um ex-garoto prodígio que atualmente está desiludido. Ela descobre que a invenção pode transporta-la automaticamente para uma realidade paralela. Logo a curiosa e o gênio se aproximam para juntos embarcar numa missão perigosa onde terão que desvendar os segredos de uma terra misteriosa em algum lugar no tempo e no espaço, conhecido como ‘Tomorrowland’. O que eles precisam fazer lá mudará o mundo para sempre, apenas.

tomorrowland-disney-lullydeverdade_02A super produção de 200 milhões de dólares deixou a desejar e todos nós saímos do cinema com uma sensação de que as peças não se encaixavam. Mesmo com algumas boas ideias e até mesmo uma interessante mensagem ecológica de salvar o planeta, o roteiro é um tanto quanto confuso, e o diretor Brad Bird não realiza um bom trabalho de explicar minuciosamente seus detalhes. Adoro ficar no cinema pensando, tentando descobrir coisas, ligar os pontos, mas PRE-CI-SO, chegar ao final do filme com todos esses pontos ligados e definitivamente isso não acontece com esse filme.

Também senti falta daquelas cenas que nos emocionam, nos fazem pensar sobre o futuro, sobre a nossa vida em questão e em que rumo as coisas estão seguindo. Enfim, um filme que poderia ser incrível, poderia ser um marco e nos fazer sair do cinema flutuando, nada mais é que um bobo filminho de sessão da tarde, com explosões e robôs maus. Uma pena…

SFn