sexta-feira , 15 dezembro 2017

TOP 10 – Melhores séries de TV

Olá pessoal, tudo bem? Já que recebi vários elogios do TOP 10 de melhores filmes de 2014 da coluna passada, essa semana resolvi fazer um novo TOP 10, só que com as melhores séries de TV. É sempre bom lembrar que são as melhores na minha opinião, viu?! Nâo existe aqui nenhuma pesquisa, estudo de audiência, comercial e etc… São 10 séries que assisti ou ainda assisto e gostaria de recomendar pra vocês. Vamos lá!!

Imagens: Reprodução
Imagens: Reprodução

Em décimo lugar: ONCE UPON A TIME. Foi fascinante mergulhar a fundo nas histórias dos personagens dos contos de fadas que todos nós conhecíamos, e ver de forma super criativa e porque não dizer intensa, como eles se viraram fora do mundo mágico, tendo que lidar com a realidade de onde vivemos. Depois de uma terrível maldição de Regina, a madrasta má da Branca de neve, todos os personagens foram trazidos para a terra, para uma realidade paralela, onde foram arrancados seu passado e suas memórias. A trama começou muito bem, mas, na minha opinião, se perdeu na segunda temporada. Acabei desistindo dela e parei na terceira, mas vou tentar retomar o fôlego e ver que fim os personagens levaram, principalmente a Regina, a bruxa má cheia de conflitos, mas que no fundo só quer ser amada pelo seu suposto filho.

please like meEm nono lugar: PLEASE LIKE ME. É uma série australiana muito divertida, colorida, dinâmica e gostosa de assistir criada por Josh Thomas. Inspirada em situações vividas por ele, Josh interpreta um jovem de 20 anos que tenta aproveitar ao máximo os prazeres de dividir com amigos uma casa. Josh é super desengonçado, um tanto neurótico com sua “falta de apelo físico”, definitivamente não sabe se relacionar, sua ironia e sarcasmo acabam o afastando do mundo. Além disso, sua vida esta passando por um período um tanto conturbado. Ele leva um fora da namorada de longa data, a desencanada Claire, que não vê mais a necessidade deles ficarem juntos já que Josh é obviamente gay. Seu melhor amigo, Tom, é vítima de uma namorada revoltada e controladora de quem ele não consegue se livrar. Sua mãe entra em depressão pós-divórcio e tenta o suicídio, forçando Josh a tornar-se seu responsável legal e a voltar a morar em casa. Seu pai meio cabeça-de-vento tem vergonha da nova namorada asiática e parece não ter a menor noção das vergonhas que ele mesmo faz o filho passar. E para deixar a situação ainda mais bizarra, Josh agora tem que conviver com sua tia-avó Peg, uma viúva quadrada e preconceituosa que tenta colocá-lo na linha; além de aceitar a idéia de que agora pode ter um namorado na forma do bonitão e inocente Geoffrey. A cada episódio, vemos essas desventuras da vida de Josh se desenrolarem aos poucos e como ele trata seu relacionamento com cada uma dessas verdadeiras figuras presentes em sua vida – inclusive ele mesmo sendo uma delas. A série não é um primor de roteiro e muito menos um primor de originalidade, mas seus 30 minutos são o suficiente para trazer um história simpática, bem humorada, tocante e exatamente na medida para não ofender demais os mais puristas dos espectadores.

Parks and RecreationEm oitavo lugar: PARKS AND RECREATION. Assim como Modern Family, Parks é uma sitcom muito divertida onde os personagens interagem o tempo inteiro com o telespectador, as piadas são ótimas, o ritmo da edição é sensacional, os personagens são loucos e o roteiro super bem construído. Destaque especial para a protagonista Leslie Knope, interpretada por (Amy Poehler), burocrata do Departamento de Parques, que está em uma missão que deveria ser simples, ajudar a enfermeira Ann Perkins a transformar uma construção abandonada em um parque comunitário, mas Leslie encontra dificuldades, como vizinhos mal-humorados, imobiliários corruptos, e o próprio processo burocrático, que tanto defende. Leslie contará com a ajuda de Tom Haverford, que se aproveita de sua posição em um cargo público para conseguir favores pessoais. Também será atrapalhada por Ron Swanson, um liberal que odeia o governo e assume o perfil de um americano clássico. Leslie também contará com Mark Brendanawicz, funcionário com 15 anos de prestação de serviços públicos, April Ludgate e estagiária desinteressada e um tanto esquisita. Outros personagens surgirão, e Leslie sempre encontra milhões de dificuldades para resolver questões muito simples do dia a dia, graças ao seu jeito metódico, perfeccionista e super profissional de ser. Assistam, só de olhar pra ela já me da uma vontade enorme de rir.

game of thronesEm sétimo lugar: GAME OF THRONES. Pra quem gosta de histórias de época e muita ação, essa série é um prato cheio, pois mostra as violentas lutas dinásticas entre as famílias nobres para ter o controle do Trono de Ferro de Westeros. Muito aguardada desde seus primeiros estágios de desenvolvimento, Game of Thrones foi muito bem recebida pela crítica especializada. Sua primeira temporada foi indicada a vários prêmios, incluindo o Primetime Emmy Award de melhor série dramática e o Globo de Ouro de melhor série – drama; também conquistou o Emmy de melhor projeto de créditos principais. Possui uma das melhores notas entre os telespectadores para séries em exibição no site IMDb, além de 14 Emmy Awards. Considero essa série uma obra prima e fico triste de também ter parado na primeira temporada, é outra que pretendo retomar muito em breve.

breaking badEm sexto lugar: BREAKING BAD. A história de Breaking Bad se passa em Albuquerque, Novo México (onde também é produzida), e gira em torno de Walter White, um professor de química do ensino secundário/médio pouco apreciado, com um filho adolescente que sofre de paralisia cerebral e uma esposa grávida, Skyler. Quando o já tenso White é diagnosticado com câncer de pulmão, sofre um colapso e abraça uma vida de crimes, produzindo e vendendo metanfetaminas com o seu ex-aluno Jesse Pinkman, com o objetivo de assegurar o futuro financeiro de sua família no caso da sua morte. Breaking Bad é amplamente considerada como uma das maiores séries de televisão estadunidense de todos os tempos. O seriado o recebeu inúmeros prêmios, incluindo dez Primetime Emmy Awards, oito Satellite Awards, dois Globos de Ouro e um Prêmio Escolha Popular. Em 2014 entrou para o Livro Guinness dos Recordes como o seriado de maior audiência de todos os tempos. Não consigo achar ela tão incrível assim, mas não da pra negar que o roteiro é muito bom e faz com que a gente se contorça de curiosidade pra esperar o próximo episódio.

ManhuntEm quinto lugar: UNDER THE DOME. Achei tão legal essa ideia que mal posso esperar pra ver o desenrolar da história dos moradores da pequena cidade de Chester’s Mill, que estão presos sob um misterioso domo que surgiu no céu e se unem – ou não –  para manter a ordem e lutar contra a barreira que os isola do resto do mundo. Como vim de uma cidade pequena e sei exatamente a dor e a delícia de morar em um lugar onde conhecemos e participamos da vida de todo mundo, fico imaginando se isso acontecesse em São Fidélis, onde chegaríamos?! Isolados do resto mundo por uma enorme redoma de vidro, sem a menor explicação e tendo que lidar com o fato de estarmos presos ali, talvez para sempre. A Tempestade do SéculoAssustador, né?! A série é desenvolvida por Brian K. Vaughan e baseada no romance homônimo de Stephen King, que também é o produtor executivo, juntamente com Neal Baer, Justin Falvey, Darryl Frank, Jack Bender, Steven Spielberg e Stacey Snider. A CBS anunciou a exibição da segunda temporada da série para 30 de junho de 2014 nos Estados Unidos. No Brasil, a primeira temporada da série começou a ser exibida pela TV Globo na madrugada do dia 30 de Junho para 1º de Julho de 2014, no lugar da série Revenge. A transmissão pela TV paga acontece no canal TNT.

modern familyEm quarto lugar: MODERN FAMILY. Ameeeeei ter descoberto essa série no ano passado. A trama é muito simples, comprovando mais uma vez a minha teoria de que o menos sempre é MAIS. Ela foi criada por Christopher Lloyd e Steven Levitan e produzida pela ABC, onde cada episódio tem em torno de 22 minutos. Em 2010, 2011, 2012 e 2013, ganhou o Emmy de Melhor Série de Comédia, assim como outros 14 Emmys. A série gira em torno de três famílias com parentes entre si, Jay Pritchett, sua filha Claire Dunphy, e seu filho Mitchell Pritchett que vivem em Los Angeles. Claire é uma mãe e dona de casa casada com Phil Dunphy  e o casal têm três filhos. Jay é casado com uma mulher colombiana HILÁRIA, muito mais jovem que ele chamada Gloria, que é ajudada por Jay a criar seu filho pré-adolescente, Manny. Mitchell é casado com Cameron Tucker, e eles adotaram uma bebê vietnamita chamada Lily. A série aborda diversos pontos das famílias atuais, como a homossexualidade, a adoção e o divórcio de maneira leve e muito despretensiosa.

lookingEm terceiro lugar: LOOKING. Foi a série mais fofa que descobri em 2014, a série conta a história de Patrick, um jovem de 29 anos, designer de vídeo games e seus amigos. Todos vivendo e amando na moderna cidade de São Francisco, na Califórnia. Mesmo unidos pela amizade, cada um está em um ponto diferente da vida. Patrick que tenta voltar a namorar após descobrir que seu ex está noivo. O artista Agustín, de 31 anos, está cogitando a ideia de assumir um relacionamento mais sério com seu namorado, enquanto o mais velho do grupo, o garçom Don, de 39, começa a enfrentar a crise da meia-idade. Pela primeira vez vi em uma série de TV o universo gay ser tratado sem estereótipos e clichês, como acontecia em “Queer as Folk”, da década de 90 e incio dos anos 2000. Looking fala de caras comuns, vivendo seus conflitos, suas relações com os amigos, família e namorados, tudo feito de maneira elegante, simples e gostosa de assistir.

the walking deadEm segundo lugar: THE WALKING DEAD. Gosto muito de ver o limite humano ao extremo, de perceber como as pessoas se viram e se modificam em determinadas situações que são obrigadas a passar. Falar sobre o fim do mundo é sempre muito interessante, visto que a humanidade caminha de mal a pior tratando se de sustentabilidade e vida útil do planeta…Todos os dias nos pegamos pensando até onde tudo isso vai parar, e não falo somente na guerra visível e real que presenciamos diariamente nos noticiários, falo também do que não podemos ver, tocar… falo da indiferença, do egoísmo e da falta de amor que o mundo está se submetendo e que não percebemos o quanto isso é auto destrutivo. O Mais interessante de tudo é descobrir que o título da série refere-se aos sobreviventes, e não aos zumbis. “Mortos andando”: mortos de cansaço, de medo, de dúvidas, de raiva, de indecisão, de preocupação… De todos os sentimentos humanos misturados. Caso queiram saber mais curiosidades e informações sobre a série, basta acessarem ao site oficial do programa aqui no Brasil: http://walkingdeadbr.com/

american horror story freakshowEm primeiro lugar: AMERICAN HORROR STORY – FREAKSHOW. Essa é a quarta temporada de AMH, o legal dessa série é que uma temporada é completamente independente da outra, são histórias diferentes, com personagens diferentes e até épocas diferentes, apenas os atores continuam os mesmos. Essa temporada específica foi a melhor, na minha opinião, com um roteiro incrível, personagens riquíssimos, uma bela fotografia, trilha super bem construída e com uma edição de cair o queixo, Freakshow leva o primeiro lugar no meu ranking! Os Estados Unidos são campões em Serial Killers e histórias de horror, a ideia da série e justamente juntar tudo que mais nos amedronta e criar histórias apavorantes, cheias de suspense, mistérios e muito sangue. A ideia de Freakshow é abordar a relação da sociedade com pessoas deficientes do início do século passado, que muitas eram vistas como “monstros”… não quero dizer mais nada, porque não quero estragar a surpresa, mas uma coisa é fato, os mais monstruosos são os que não possuem nenhuma deficiência a olho nu. A série está toda disponível no site iDeviceFilms, só assinar e baixar. Aliás esse site é maravilhoso, tem muitos filmes novos e varias séries, tudo em HD em versões dubladas e legendadas. Fica a dica!

Valeu pessoal, um beijo e até semana que vem!!!

final


Mais do SFn