segunda-feira , 5 dezembro 2016
2ertyui8uouipipopo

Tragédia da Região Serrana completa cinco anos de muitas lembranças

sderyuhoiuoiop
Fotos: reprodução do site do Corpo de Bombeiros

Doze de janeiro de 2011. Um dia que jamais irá ser esquecido por moradores dos municípios da Região Serrana do estado do Rio. Casas, prédios e morros desabaram. Imóveis, diversos veículos e várias pessoas foram arratadas em cidades como Petrópolis, Teresópolis, Nova sdfghhjuyiuoFriburgo, São José do Vale do Rio Preto e Bom Jardim.

Os números oficiais do governo do Estado contabilizam mais de 900 mortes na região serrana por conta da enchente de 2011. De acordo com o Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos do Ministério Público Estadual, até hoje 101 pessoas ainda são consideradas desaparecidas.

No entanto, o centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) de Petrópolis acredita que o número de vítimas pode ter sido ainda maior. Eles estimam que a tragédia causou cerca de 2 mil mortes.

Entre os mortos estão três bombeiros, o Sargento Verly, o Soldado Freitas e o Vitor Lembo. Eles morreram soterrados tentando salvar pai e filho que estavam presos nos escombros. Cerca de 24 mil pessoas ainda vivem em área de riscos em Nova Friburgo, sendo 20 mil em locais sujeitos a deslizamentos de encostas e 4 mil em terrenos que podem inundar. Os números oficiais apontam que mais de 400 pessoas morreram no município.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros de Nova Friburgo, a chuva forte começou por volta das 22h10 do dia 11, e não parou. “Não era uma chuva como tantas outras; o índice pluviométrico rapidamente alcançara 172 mm, subindo a cada instante. A chuva que caía também no alto das montanhas se somava à que já descia pelas encostas e seguia pelos vales levando de roldão o que encontrava pela frente. Os leitos dos rios não suportaram o volume das águas e transbordaram se rebelando contra os leitos, inundando ruas, praças e residências que desabavam uma após outra. Os deslizamentos se multiplicavam trazendo árvores e enormes pedras empurradas pela grande quantidade de água barrenta ou lama”.

A história completa sobre o salvamento que terminou com a morte dos três bombeiros, você encontra no site do Corpo de Bombeiros de Nova Friburgo.

wertyuhioui

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *