terça-feira , 16 outubro 2018

Um ano após decreto de emergência, nível do Rio Paraíba, em São Fidélis, volta a preocupar Em outubro do ano passado, a Prefeitura de São Fidélis, assim como diversas outras da região, decretou situação de emergência devido à escassez de chuva

Em outubro do ano passado, a Prefeitura de São Fidélis, assim como diversas outras da região, decretou situação de emergência devido à escassez de chuva

Fotos: SF Notícias

O nível do Rio Paraíba do Sul em São Fidélis está muito abaixo do ideal. Em quase todo o leito que corta a “cidade poema” é possível ver areia e pedras. É possível até atravessar o rio com água na canela em vários pontos.

Quem trafega pela RJ-158, sentido Campos, vê enormes bancos de areia. Já no perímetro urbano, quem passa pela Ponte Metálica, no Centro, consegue ver o fundo do rio. Outro ponto que chama a atenção é nas estruturas de uma antiga ponte. As pedras altas acabam funcionando como uma espécie de barragem.

Embora o nível do rio esteja cada dia menor, esse ano o município não enfrenta muitos problemas, já que o inverno teve registro de chuva acima da média. Em outubro do ano passado, a Prefeitura de São Fidélis, assim como diversas outras da região, decretou situação de emergência devido à escassez de chuva.

continua após a imagem

Para muitos, o Rio Paraíba do Sul ainda não se recuperou totalmente da pior estiagem sofrida dos últimos anos. Em 2014, São Fidélis foi o município mais atingido, tendo cerca de 80% da extensão rural afetada. Foram contabilizadas perdas de aproximadamente 40% na produção leiteira e 30% de perda na lavoura e produção olerícola.

Cerca de 300 associados da Cooperativa de Laticínios, que ainda funcionava, tiveram perdas. Segundo a Emater-Rio, foi detectado um impacto iminente no aumento da perda no peso e índice reprodutivo do gado de corte e leiteiro (pecuária) estimado em 30%. Em 2015 o município passou por um novo período crítico. Naquele ano, mais de 5 mil produtores foram afetados. Mais de 1.500 animais morreram entre os anos de 2014 e 2015.


Mais do SFn