domingo , 11 dezembro 2016
1

Vídeo com poema de fidelense contra o racismo ultrapassa 1 milhão de visualizações no facebook

2
Foto: Reprodução.

Os fidelenses que gostam de teatro e poesia, certamente, conhecem há bastante tempo o jovem Thiago Yuri.

Com apenas 18 anos, ele é o atual tricampeão como melhor intérprete e bicampeão como autor da melhor poesia do Festival Aberto de Poesia Falada de São Fidélis. Mas muitos que ainda não o conheciam, passaram a conhecer no último dia 17, três dias antes do feriado da Consciência Negra, quando ele postou um vídeo em sua página no facebook, recitando o “Poema Crespo”, de sua autoria. O vídeo rapidamente viralizou na internet,  sendo inúmeras vezes compartilhado, inclusive pelo cantor Leoni, que já fez parte do grupo Kid Abelha. Hoje o “Poema Crespo” já está com mais de 1 milhões de vezes no facebook, além de ter mais de 20 mil curtidas e 33 mil compartilhamentos. (Vídeo no fim da matéria).

– Esse poema é bem recente. Talvez seja o meu poema mais recente. Depois do festival deste ano, as pessoas começaram a pedir o poema campeão, que era aborto, para usar em eventos de consciência negra e outros eventos do tipo. Só que aquele poema não falava necessariamente disso, não era voltado para o racismo. Ele tinha mais um social de uma crítica à redução da maioridade penal, que eu era contra e resolvi fazer aquilo. Mas, talvez, por eu ser negro e estar interpretando um poema, as pessoas levaram para esse lado. Então eu escrevi um poema que está realmente como as pessoas querem. Escrevi em um dia, no outro eu gravei, coloquei no facebook, e foi isso. Foi uma surpresa, de verdade. Eu não esperava que fosse ter um retorno assim, tão grande. – disse Thiago Yuri.

Voltando ao começo de tudo, o jovem poeta fidelense lembra que teve dificuldades para aprender a ler, sendo alfabetizado em casa, por sua mãe, que lhe presenteou com o livro “A Arca de Noé”, de Vinicius de Moraes, que retratava coisas simples, do cotidiano, em versos, para melhor entendimento das crianças. Dali em diante, Thiago se inspirou em Vinicius e passou a escrever versos sobre tudo o que acontecia na sua vida, durante o dia, na escola, em casa, etc. Aos 14 anos, percebeu que tinha um talento diferenciado quando foi elogiado por integrantes da Academia Fidelense de Letras, durante um evento no Centro da cidade, em praça pública.

– Eu fui descobrir que eu realmente fazia poesia com 14 anos, quando eu já tinha um volume extenso de escrita. A Academia Fidelense de Letras fez um evento na praça, e a professora pediu para eu representar a escola, o Barão de Macaúbas. Então eu levei um poema, li, o pessoal gostou, aplaudiu, e me perguntaram a autoria, quando eu disse que era meu. Daí disseram que eu tinha talento,  começaram a me incentivar, me chamaram para as reuniões. Logo depois eu fui para a sala de ensaio, conviver melhor com a poesia. E dali que eu comecei a, realmente, desenvolver e entender a importância da poesia. Me descobri poeta, vamos dizer assim. – contou Thiago.

Entre os prêmios que já conquistou, o do Festival Aberto de Poesia Falada de São Fidélis, deste ano, talvez tenha sido o mais especial. Pelo menos é um dos que Thiago guarda com mais carinho, lembrando a importância do evento, de nível nacional, que contou com grandes nomes de várias cidades do Rio de Janeiro e também dos outros estados.

3
Foto: Arquivo pessoal.

– Eu participo de festivais de poesia desde 2012. Meu primeiro festival foi com 15 anos, onde não ganhei prêmio nenhum. Aí em 2013 eu participei com um poema de Geraldo Chocolate, fiz a interpretação, e fui o melhor intérprete. No ano passado eu fui pro festival municipal com um poema meu, pela primeira vez, e ganhei os prêmios de melhor poesia e melhor interpretação. E nesse ano, novamente, no nacional, eu me inscrevi com outro poema meu, e ganhei os prêmios de melhor poesia e melhor interpretação. Foi mágico. A gente faz poesia, vive isso o ano inteiro. Você ser reconhecido, levar um prêmio, com uma banca de dez pessoas capacitadas, competindo de igual pra igual com pessoas do Brasil inteiro, que vivem disso, com 10, 20, 30 anos de estrada, é gratificante. – disse o jovem poeta fidelense, que leva a sério o que faz.

– Eu costumo dizer que é profissional, porque requer tempo, cuidado e dedicação. Mas ainda não é uma forma de trabalho. Meu trabalho não é ser poeta. Eu curso letras, faço literatura, que é o que mais me aproxima da poesia. Eu tenho a poesia como um trabalho, mas não como uma forma de ganho, digamos assim. Mas é um trabalho sério, como qualquer outro. – ressaltou Thiago.

Com o impacto gerado pelo “Poema Crespo”, que vem se tornando cada vez mais conhecido, Thiago Yuri acredita que, além de ajudar no combate contra o racismo, pode fazer com que a população de São Fidélis passe a olhar com outros olhos a poesia, que por muitas vezes passou desapercebida na cidade que é chamada de “Cidade Poema”.

– Nós estamos no mês da consciência negra, da conscientização. As pessoas queriam debater isso. E uma coisa que não era popular, em uma semana conseguir mais de 1 milhão de visualizações, deixa a entender de que a poesia, sim, pode chegar em todo mundo, e a poesia falada pode chegar melhor. A gente recebe convites para falar em outros lugares, outras escolas. Vemos que não tem isso em outras cidades. A arte de falar poesia é uma característica muito nossa, e eu acho que a gente está perdendo muito isso, já deveríamos ter descobrido a muito tempo, pois é o nosso diferencial. Esse vídeo é a prova de que a poesia tem força. Com as mídias aí, principalmente a internet, eu espero que as pessoas acreditem mais na poesias. Não só na minha, mas na poesia de uma forma geral. – concluiu Thiago Yuri.

Após o sucesso do “Poema Crespo”, o jovem criou um canal no youtube, onde está postando outras poesias suas, como “Aborto”, premiada no último festival. Além disso, abriu a oportunidade para outros fidelenses enviarem poemas tratando de temas como machismo, feminismo, racismo, corrupção, desastres ambientais, homofobia, perseguição religiosa, entre outros. O projeto recebeu o nome de “poesia com causa”,  e terá vídeos de um minuto, cada, sendo divulgados semanalmente na página de Thiago. Nesta semana ele divulgou o poema “o meu feminismo não é ruim”, de Carla Mangueira, que também vem se destacando no cenário da literatura fidelense.

SFn

Um comentário

  1. uma pena q os “likes” q ele distribui no face não reflitam td essa maravilha… mto bom em umas lutas e pessimo em outras…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *