Witzel diz que Bolsonaro contraria determinações da OMS e pede para população permanecer em casa "Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade”, disse o presidente 

"Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade”, disse o presidente 

Foto: reprodução

O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, usou as redes sociais para criticar o pronunciamento feito em rede nacional pelo presidente Jair Bolsonaro, na noite desta terça-feira. Bolsonaro afirmou que as autoridades devem evitar medidas como proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa. Ao lado do secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, Witzel disse que as orientações de Bolsonaro contrariam as determinações da Organização Mundial de Saúde, e pediu a população que permaneça em casa. “A manifestação em cadeia nacional do presidente da República contraria as determinações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Nós continuaremos seguindo as orientações médicas e preservando vidas. Eu peço a você: por favor fique em casa“, disse o governador. (continua após o vídeo)

“Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade”, disse o presidente. No pronunciamento, Bolsonaro voltou a dizer que o grupo de risco para a doença é o das pessoas acima dos 60 anos de idade e que não teria necessidade de fechamento de escolas, já que são raros os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos. Segundo ele, 90% da população não terá qualquer manifestação da doença, caso se contamine, e a preocupação maior deve ser não transmitir o vírus, “em especial aos nossos queridos pais e avós”.

Mais do SFn