Xadrez é a nova ferramenta da educação para a melhoria da aprendizagem em município do Noroeste Fluminense A iniciativa deu tão certo que será realizado um campeonato entre as escolas municipais e particular

A iniciativa deu tão certo que será realizado um campeonato entre as escolas municipais e particular

Fotos: divulgação

Entre torres, reis, rainhas, cavalos, os alunos das escolas municipais de Varre-Sai, no Noroeste Fluminense, podem até se imaginar em um conto de fadas. Mas a brincadeira aqui é outra, é o Xadrez que foi inserido na grade curricular das escolas como forma de oferecer aos alunos das escolas públicas municipais um reforço a mais na hora da aprendizagem.

O ensino de Xadrez foi introduzido em fevereiro de 2017 pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Varre-Sai, nas escolas municipais, em busca de melhorar o desenvolvimento cognitivo, a concentração, o raciocínio lógico e a disciplina dos alunos. O Projeto Xadrez nas Escolas é trabalhado com os alunos do 4º ao 9º ano do ensino fundamental, totalizando aproximadamente 350 alunos alcançados.

E eles estão aprovando a ideia, como é o caso de Letícia da Silva Lima, 9 anos, aluna do 4º do ensino fundamental da Escola Municipal Primo José Sobreira. Ela contou que gosta do Xadrez porque ajuda a desenvolver o raciocínio.

“Gosto do Xadrez porque me ajuda a evoluir mais, me ajuda a pensar nas coisas que eu preciso e o silêncio na hora do jogo faz bem para refletir sobre muitas coisas. Também gosto do nome das peças da torre, do bispo, a dama, todas com seus movimentos definidos. E na hora do xeque-mate temos que pensar como sair ou como vencer”, lembrou a aluna.

Outro aluno, Luiz Vitor Ribeiro Lopes, 10 anos, do 5º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Primo José Sobreira, contou que aprendeu a jogar Xadrez na escola.

“Acho muito bom porque ajuda a pensar na hora da prova e avançar nos estudos. Você pensa em algo e quando não consegue entender, o Xadrez ajuda muito. Tenho colegas que não entendiam a matéria e depois que começaram a jogar Xadrez estão aprendendo, pois ajuda o raciocínio”, destacou o aluno.

O Xadrez acontece paralelamente à disciplina de Artes. As escolas municipais que receberam o xadrez na grade curricular são: Elídio Valentim de Moraes, Vargem Alegre, Cruz da Ana e Primo José Sobreira. E gradativamente será ampliado para as demais escolas do município.

E a iniciativa deu tão certo que será realizado um campeonato entre as escolas municipais e particular e vai ser dividido em duas etapas: a do primeiro trimestre, que será realizado em julho e a outra etapa, em dezembro.

O secretário municipal de Educação e Cultura de Varre-Sai, Carlos Alberto da Silva, explicou que a ideia de introduzir o Xadrez nas escolas surgiu ao observar a dificuldade de concentração de alguns alunos do município.

“O aluno que joga Xadrez tem um desempenho melhor em todas as disciplinas. Estamos com uma expectativa muito boa porque os alunos estão entusiasmados. E tenho certeza que o uso do Xadrez nas salas de aula será uma ferramenta a mais para o desenvolvimento da Educação” esclareceu o secretário.

O professor José Carlos Monteiro (Pará) que ensina as aulas de xadrez nas escolas municipais contou que aprimorou seus conhecimentos, antes de ensinar o jogo e que depois que o xadrez foi implantado nas escolas de Varre-Sai, um jogador do município já se destacou como bicampeão do Noroeste Fluminense.

“Acredito que o Xadrez é um dos projetos mais audaciosos e inovadores e faz mexer com o raciocínio e concentração. A criança passa a ter uma compreensão definida das regras, não só do jogo, mas da vida como um todo”, afirmou o professor.


Mais do SFn