Pais não aceitam aborto, bebê sobrevive e supera complicações de grave doença: conheça a história de João Pedro Segundo o médico, se João sobrevivesse, iria apenas movimentar os olhos. Hoje, com 2 anos de vida, ele anda e fala

Segundo o médico, se João sobrevivesse, iria apenas movimentar os olhos. Hoje, com 2 anos de vida, ele anda e fala

imagens: arquivo pessoal

Há três semanas o SF Notícias contou a história da pequena Maria Eduarda, que foi desenganada pelos médicos, mas graças à fé dos seus pais, que decidiram manter a gestação, Maria nasceu e segue dando alegria a família de Itaocara. Hoje, vamos contar uma história parecida, mas do pequeno João Pedro, morador da divisa de Santo Antônio de Pádua com Pirapetinga. É importante ler essa matéria até o final. Você vai se emocionar! Veja os vídeos.

Foi durante o primeiro ultrassom, com quatro meses de gestação, que João Pedro foi diagnosticado com Hidrocefalia bilateral grave. Nesse momento, um médico disse aos pais de João que se ele sobrevivesse, iria apenas movimentar os olhos.

“O médico disse que meu filho iria vegetar e que o aborto nesse caso poderia acontecer, mas eu e a minha ex-esposa saímos daquela consulta com convicção de que iríamos buscar todo o tratamento necessário para ele. Não foi fácil, pois nossa renda era pouca, mas com ajudas, conseguimos uma vaga no Instituto Fernandes Figueira (um hospital mantido pela Fio Cruz no Rio) e começamos o tratamento”,  contou Caio Macharett.

Assim que João Pedro nasceu, ele passou por uma cirurgia para implantação de uma válvula na cabeça para drenar o líquido que se acumulava em seu crânio, devido a Hidrocefalia. De desenganado por um médico a um milagre. João Pedro hoje é um exemplo para outras famílias que ouviram a mesma coisa de um médico.

continua após o vídeo

“Mães e pais de todo o Brasil me procuram pra saber sobre o tratamento. Pessoas me ligam pra ver o João, pois não acreditam que ele está andando”

Atualmente, João faz fisioterapia e fono para ajudar a desenvolver melhor, mas anda sozinho e consegue pronunciar algumas palavras como: papai, mamãe, vovó, titia, caminhão (o avô é caminhoneiro) e o nome da irmã. No começo do tratamento, até o nono mês de vida, João precisava se deslocar toda semana de Pádua para o Rio. Com o avanço, o tratamento passou para a cada quatro meses e agora, a ida ao Instituto Fernandes Figueira vai acontecer uma vez ao ano.

No último dia 21, João completou dois anos de vida, dois anos de um milagre. O presente de aniversário foi um velotrol. Sim, uma criança que para um médico iria movimentar apenas os olhos ganhou um velotrol. Caio [pai de João] teve a ideia de filmar toda a montagem para ver como seria a reação do menino e analisar se ele iria interagir, pois a hidrocefalia poderia atrapalhar esse desenvolvimento de interagir. O resultado é surpreendente e emocionante.

Caio então decidiu publicar o vídeo nas redes sociais e fazer uma campanha contra o aborto. “Diga não ao aborto e viva esse momento incrível de ser pai”, concluiu Caio.


Mais do SFn